O paraíso tijucano – Praça Saens Peña.

Existe um lugar como a praça que exponha tantas estórias, que é capaz de oferecer um mundo tão vasto de culturas. Talvez o melhor lugar para descobrir isso seja visitando a Saens Pena (Sáenz Peña outras grafias) – o episódio de hoje “O artesão do sul do Paraná”

O artesão Edson vindo do sul do Paraná - Curitiba (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
O artesão Edson vindo do sul do Paraná – Curitiba (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)

Alma tijucana – Praça Saens Peña.

Em plena praça Saens Peña ao querer cobrir uma paisagem recentemente revitalizada pelo governo e com a contribuição da paisagista Beatriz de Santiago que implementou as palmeiras e deu um ar provinciano a já conhecida e nobre praça. Quem passa por ela, e entende o que significa sabe que é uma praça extremamente importante não só como patrimônio do Estado, mas é um ‘centro de culturas’.

 00 • 00

Sentado em um dos bancos em frente a chafariz, fui abordado por um artesão do sul do Paraná. Apresentou-se com sutileza, querendo mostrar sua arte. Acrescentei-me em querer coloca-lo em minha primeira reportagem, então ele fez como um caixeiro viajante faria – “Compre minha arte”. Fomos dos broches feitos com seringueira, até penas de pavão – tudo feito a mão. Chegamos a um brinco em forma de lua – “Este eu acabei de fazer agora” – diz o artesão Edson. Bem quanto ele custa? Ele não havia pensado no preço, então pediu-me que fizesse um lance. Apostei em R$ 3,00 e ele acrescentou 2 reais. Acertamos em 5 reais – um belo presente para uma garota.

A proposta era a arte dele pela minha matéria. Em conformidade de um bom negócio – consegui 2 em 1. Comprei um artesanato e fiz minha matéria, e ele consegui expor seu trabalho.

•”Não existe tempo para arte, a arte está em minhas mãos” – Artesão Edson•

Recreação tijucana.

A área ergonômica da praça (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
A área ergonômica da praça (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)

O uso da área ergonômica da praça é excessivamente utilizada. Todos os dias que passo por ela, sem oferecer um flagrante com as lentes, vejo sendo utilizada. Um aproveitamento que oferece aos habitantes da Tijuca um status de bairro ‘oficialmente’ saudável. Os aparelhos  trabalham pernas, braços, conjunto completo de torso superior e inferior.

Também é utilizado o espaço pela terceira idade. Como pode ser visto a conservação dos aparelhos está excelente.

Programa de exercícios para terceira idade (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Programa de exercícios para terceira idade (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Área Ergonômica (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Área Ergonômica (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Bicicletário (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Bicicletário (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Oca do Pôquer (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Oca do Pôquer (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Oca do Pôquer (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Oca do Pôquer (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)

Projeto natureza.

Palmeiras (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Palmeiras (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)

O projeto ‘Muda Rio‘ foi uma parceria firmada entre a paisagista Beatriz de Santiago e a Fundação parques e jardins para revitalizar áreas urbanas. E o projeto iniciou-se na Tijuca. O projeto não só visa embelezar, e sim conservar. O canteiro por inúmeras finalidades, e são elas: Renovação urbana com preservação ecológica, espaço para programas, espaço para recreação. A praça conta com uma guarita/posto de policias próximo a saída/entrada do metrô.

Ainda próximo da boca do metrô em direção a padaria “Santa Marta” (Padaria da praça) é possível em alguns dias observar shows de músicos, das mais variados gostos.

•”A ideia é beneficiar o Rio de Janeiro inteiro. Comecei pela Tijuca, pois morei aqui durante muito tempo. Além disso, há aqui uma visibilidade muito grande” – diz Beatriz de Santiago•

Grupos de peixes com a boca para fora (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Grupos de peixes com a boca para fora (Foto: Rafael Junqueira/Mundo Pauta)
Anúncios