“Imediatismo corporativo provoca o neuromarketing negativo”

“O McDonald’s tomou a decisão de incluir frutas e vegetais nas refeições para crianças, mas tinha um problema. Nada pode ser mais chato do que comer cenoura. Foi então que a empresa decidiu fazer testes e descobriu que cenouras cortadas em forma de bastão e histórias na caixinha passavam à maioria das crianças a ideia de algo lúdico. Após o lançamento dos produtos, isso se confirmou. Foi um sucesso.” (Martin Lindstrom – Revista Exame Online – 29/07/2013)

Facetas negativas do NeuroMarketing
Facetas negativas do NeuroMarketing

O lado negativo do Neuromarketing é um dos comportamentos mais fáceis de identificar. Mas antes que venhamos a discutir isso, vamos entender do que se trata o neuromarketing.

Neuromarketing é um campo de estudo que analisa o comportamento do consumidor dentro de critérios que avaliam sentidos através de interações com o objetivo de gerar uma compra. O que faz uma pessoa comprar um carro de 100.000 reais e não comprar um sabão em pó de 25? Será que decidimos comprar algo baseado em algo que necessitamos ou desejamos?

Quais são os fatores ‘reais’ que nos fazem decidir comprar?

O tipo de mapeamento que o neuromarketing faz diferente do já existente campo de estudo sobre o comportamento do consumidor, dentro de linhas da psicanálise, antropologia e sociologia como o behaviorista, psicográficos e comportamental, é que ele mapeia decisões tomadas no subconsciente e são medidas através de estímulos.

Imediatismo: O gatilho negativo do neuromarketing.

Empresas querem “retorno” (ROI – Return of investment – retorno de investimento) mais do que a qualidade do atendimento, o retorno do cliente e a percepção do seu público.

Great Scott - Back to the
Great Scott – Back to the “Imediatamente” NOW

Novas tecnologias, modelos de negócios e econômicos e tendências que surgem a todo instante. Tudo correndo mais rápido que sua reação possa responder. Como “atender” a uma demanda que pede muito em pouco tempo e muda rapidamente? A resposta é ser mais rápido do seus concorrentes e seus clientes.

Marketing lida absolutamente com inteligência de mercado e isso requer tempo e paciência.

Mas a atividade de planejar é incomum as empresas brasileiras e quando se deparam com uma oportunidade a ação que surge – “Pegue e desfrute” sem pensar para onde as coisas vão parar.  O que acontece é uma empresa atirando para todos os lados a todo custo, pressionando o mercado consumidor.Teremos consumidores decidindo mal.

Desejo vs necessidade.

Quando se estuda e atua em Marketing a primeira observação que se tem é o papel que o Marketing possui: Estimular ou informar? Em grande parte por causa da correria, Marketing, Publicidade e Propaganda são confundidos em um campo só.

Entre o tempo e o custo que o Marketing precisa ter e a ânsia pelo resultado, o que acaba acontecendo é a prática de gerar ‘desejo’, até exagerado em cima de informar os benefícios da necessidade informando ao cliente e deixando mais a vontade. E não com o desespero de querer ter, e comprar até o que não precisa.

Delícia? Quem não deseja?
Delícia? Quem não deseja?

Se você tem uma decisão errada o que faz? Corrige o problema que o levou a tomar a decisão errada. E no caso quando uma empresa é a responsável por estimular essa reação, na maioria das vezes, a pessoa toma a decisão de não comprar mais nela.

 

Artigos para estender a leitura.

Curta Mundo Pauta | Siga @Mundo_Pauta

Anúncios