Interagindo com o Big Data.

Falamos na primeira parte sobre o que vem a ser o Big Data, no que isso ajuda o marketing. Qual foi a origem do termo, e a história do banco de dados. Nada chato, bastante dinâmico e do dia-a-dia. Nesta parte vamos entender o que é um BIG DATA na prática, vamos utilizar a linguagem SQL na plataforma MYSQL com interface final.

Como criar e trabalhar com Datawarehouse? (Foto: Reprodução/Internet)
Como criar e trabalhar com Datawarehouse? (Foto: Reprodução/Internet)

Recapitulando, Datawarehouse ou Big Data, é um enorme banco de dados que guarda todas as informações de uma empresa. Estas informações ou dados não tem qualquer serventia de ‘responder’ questões dos departamentos.

Questões essas criadas no momento de uma tomada de decisão. Quando um gestor de Marketing quer saber que produto é o carro-chefe da empresa e em quais situações ele ‘RENDEU’ ovos de ouro? O Big Data pode fornecer os dados essenciais, mas não são filtrados.

Para filtra-los, e tornar o dado uma informação legível, ele é processado por um banco de dados relacional (ou database marketing). Vamos ver alguns procedimentos SQL transacionais para entender como mexer neste BIG DATA.

Database – case fictício “Locadora de games”.

É sempre bom ilustrar um case para que o conteúdo seja assimilado. Portanto vamos definir o que precisamos para uma locadora de games existir e funcionar. O trabalho de um analista de dados (quando direcionado para um agente de marketing) eu costumo intitular um agente de inteligência de mercado, mapear os departamentos (alguns utilizam a ferramenta CANVAS) que desenha os departamentos, funções e ações.

Aqui vamos fazer mais simples, não vamos delongar em recursos que não são o alvo do artigo. Um Locadora de Games precisa de:

  • Fornecedores
  • Clientes
  • Funcionários
  • Produtos
  • Unidades (lojas ou loja)
  • Departamento financeiro, marketing, rh e logística.
  • E um administrador.
PDCA - Planejamento, direcionamento, controle e ação (Foto: Reprodução/Internet)
PDCA – Planejamento, direcionamento, controle e ação (Foto: Reprodução/Internet)

Basicamente todo negócio para começar precisa disso. Cada um desses itens podem ser armazenados em nosso BIG DATA, que vamos chamar de ‘LOCADORA DE GAMES’. Cada item dentro de um banco de dados são denominados “TABELAS”. Toda tabela contém atributos, como?

A tabela funcionários contém dados dos funcionários, tais como nome, idade, função, formação acadêmica, cursos, salário, época de ingresso na empresa, turno. Não é? Cada um destes dados fornece aos departamentos um tipo diferente de informação. Para o financeiro corresponde ao gasto, para o marketing é uma função estratégica saber que tal funcionário é formado em contabilidade por exemplo e assim sucessivamente.

Por isso mapear, planejar, montar um plano de negócios, modelos estratégicos são OBRIGATÓRIOS para qualquer gestor iniciar seu negócio. Não adianta querer montar tudo, soltar tudo no mercado e achar que vai fazer mina de ouro. Não funciona. Se a sorte é a vela de vento, o capitão deste barco não vai diferenciar banco de areia do fundo do mar.

O planejamento de um BIG DATA é intimamente ligado ao início do negócio. Se ele já existia, este planejamento deve estar documentado e adaptado a estrutura de armazenamento. A consistência de dados virtuais e reais devem ser EXATAMENTE as mesmas. Uma das regras de normalização de dados, é justamente a consistência.

Para não nos estendermos, iremos criar em nosso BIG DATA a tabela PRODUTOS e CLIENTES. E iremos trabalhar com as duas tabelas ativamente utilizando a linguagem SQL.

Criando a tabela produtos (Foto: Mundo Pauta)
Criando a tabela produtos (Foto: Mundo Pauta)
Criando a tabela clientes (Foto: Mundo Pauta)
Criando a tabela clientes (Foto: Mundo Pauta)

Se a linha de programação provoca dúvidas, não hesitem em perguntar. Não é muito trivial o SQL como é dito por aí. Existem guias que demonstram quase todos os comandos, outros são dedutivos por quem é da área há muito tempo.

A sintaxe do código para criar tabelas é a geral abaixo:

Sintaxe geral do código SQL para criar tabelas (Foto: Mundo Pauta)
Sintaxe geral do código SQL para criar tabelas (Foto: Mundo Pauta)

Nosso Big Data já tem duas tabelas, a de CLIENTES e PRODUTOS. Visualize abaixo como elas estão dispostas.

Big Data Locadora de Games (Foto: Mundo Pauta)
Big Data Locadora de Games (Foto: Mundo Pauta)

Vamos inserir alguns registros (records) nestas tabelas para que possamos trabalhar nosso big data. As operações transacionais conhecidas são: INSERT (Gravar dados), SELECT (Consulta), UPDATE (Atualização) e DELETE (Apagar dados).

Elas são conhecidas por serem operações transacionais, porque não realizam uma filtragem dos dados. É apenas uma movimentação sem modificar o ‘bruto’ do dado. A informação pode até se formar aos olhos do profissional, mas esta não é a finalidade destes recursos.

Criação de registros nas tabelas.

Registro na tabela produto 1 (Foto: Mundo Pauta)
Registro na tabela produto 1 (Foto: Mundo Pauta)
Registro na tabela produto 2 (Foto: Mundo Pauta)
Registro na tabela produto 2 (Foto: Mundo Pauta)
Registro na tabela produto 3 (Foto: Mundo Pauta)
Registro na tabela produto 3 (Foto: Mundo Pauta)
Representação da tabela PRODUTOS (Foto: Mundo Pauta)
Representação da tabela PRODUTOS (Foto: Mundo Pauta)

Entenda que o procedimento para CLIENTES é exatamente o mesmo. Então crie para a tabela CLIENTES três (3) registros também. Somente pela prática é que vai entender como escrever esse código, e entender SQL é como entender o mercado. Não tem receita de bolo, apenas soluções.

Seja qual dados você inserir em seu registros de clientes, não irá mudar no resultado deste tutorial. Se vai ser diferente deste ou não, é critério de vocês.

Representação da tabela do cliente (Foto: Mundo Pauta)
Representação da tabela do cliente (Foto: Mundo Pauta)

Bem até aqui trabalhamos com duas operações transacionais: SELECT e INSERT. E notamos variações nos códigos. Isso faz parte da pesquisa de vocês. Um Big Data bem organizado garante no futuro uma análise de dados rápida e eficiente.

De nada adianta jogar todo treco que você encontra num quarto, para depois organizar. Você guarda no quarto já organizado. Assim a rapidez em saber o que tem nele, e o que manter ou jogar fora não demorará quase nada.

Mysql é um banco de dados transacional e relacional.

Sim ele é. Isso significa que ele armazena e filtra os dados. Claro que não é ao mesmo tempo. Quando dizemos “automático” falamos que não precisamos de calcular manualmente o que queremos dos dados. Se pedimos a taxa média do valor rendido naquele mês, apenas usamos uma função que nos determinará essa resposta.

Se quisermos saber que cliente mais frequenta a locadora e que jogo mais aluga, basta que usemos um contador para definir e identificar quem é esse cliente. Daí em diante as decisões não serão fáceis, mas serão baseadas em fatos fundamentados. Podemos pensar que um cliente que aluga todo final de semana Assassin’s Creed, de fato gosta tanto dele que uma hora vai compra-lo. Mas sua insistência em alugar, permite-nos deduzir, que ele não tem esse dinheiro agora.

Balanced ScoreCard - Voltando para aperfeiçoar o atendimento (Foto: Reprodução/Internet)
Balanced ScoreCard – Voltando para aperfeiçoar o atendimento (Foto: Reprodução/Internet)

Então o Marketing começa a pensar que poderia conseguir uma edição especial, reduzir um pouco o preço e tornar tentador a este cliente. Se for feito certo, ele continuará sendo a galinha dos ovos de ouro. O tiro pode sair pela culatra também, por isso quanto mais dados tiver, e quanto mais planejamentos Ad-hocs (só apenas para aquele caso) e a médio e longo prazo. Melhor será sua resposta.

Lembrem-se gestores de marketing – PDCA, SIM (Sistema de informação de Marketing) e Big Data andam de mãos dadas o tempo inteiro. Marketing pensa o tempo todo em soluções e esta é a ferramenta mais adequada no presente momento.

Vamos responder algumas questões utilizando o nosso banco de dados. (BIG DATA)

Não estamos trabalhando ainda com um banco de dados relacional (Database marketing).

  1. Que clientes possuem atraso no aluguel?
  2. Quais são as matrículas registradas?
  3. Que produtos são do console Playstation 3?
  4. Que produtos são do console Xbox 360?
  5. Qual é o código do jogo ‘Beyond Two Souls”?
  6. Altere algum cliente que não tinha atraso para sim. (Pesquisa – UPDATE)
  7. Altere o valor do produto de Left 4 Dead de 8.5 para 5.50. (Pesquisa – UPDATE)
  8. Remova algum cliente de seu cadastro. (Pesquisa – DELETE)
  9. Remova algum produto e insira um novo. (Pesquisa – DELETE E INSERT)

Cinco perguntas básicas para treinar o seu SQL. Apenas por ter informações armazenadas. Não estamos ainda filtrando e tornando a informação válida para uma decisão. Ainda não existe a pergunta relacionada com “Que cliente é inadimplente e o que preciso para tornar o lucro controlável?” essa é uma pergunta relacional. Seria uma pergunta do departamento de Marketing. E o objetivo seria frear e evitar qualquer prejuízo oriunda do mercado concorrente, caso algum cliente demore a pagar.

As locadoras possuem o sistema de multas, mas ela não ‘ensina’. Apenas recorre ao aumento do valor, independente se a locadora estiver sobre a maré e arrebentação de uma crise financeira. O Marketing deve entender que um cliente inadimplente é um perigo. Você conta com aquela renda naquele dia, e o cliente não paga. Você já teve prejuízo. A importância do Big Data para o BDD (Banco de dados multdimensionais ou relacional) é reunir estes dados, criar contexto e tomar uma decisão.

Artigos para estender o assunto.

Anúncios