As ações promocionais utilizadas pelo Marketing Moderno, tem conhecido uma nova forma de vender. E ela se chama Marketing Live. No ponto de venda, o produto ganha um novo espaço que repagina a forma do consumidor experimentar e a empresa de se expôr. O marketing live ganha presença também na estratégia conhecida como guerrilha – rápida ação com custo baixo.

Marketing Live ganha espaço no mundo cada vez mais tecnológico (Imagem: Reprodução)
Marketing Live ganha espaço no mundo cada vez mais tecnológico (Imagem: Reprodução)

Quem não conhece Cirque Du Soleil? O case de marketing mais conhecido do mundo, que inovou o conceito de circo, e trouxe aos espetáculos regados á ballet clássico e shows pirotécnicos e ricos em cores. Estava instalado o sucesso da trupe Canadense. A famosa história ganha até presença na obra de W. Chan Kim e Renée Mauborgne, autores do livro “A Estratégia do Oceano Azul – Como criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante“.

O Marketing live nasceu do marketing de entretenimento, denomina-se como o “Marketing das emoções“. De um sorriso, de um aperto no peito, de um viva inesperado, de um salto de alegria, os gestores de marketing analisam a satisfação do cliente da forma mais ‘viva’ possível. As ações promocionais estão seguindo um curso, onde, o consumidor para adotar um produto, basta a interagir com ele e conhece-lo. Uma tática arrojada, e deveras complicada de ser efetuada.

Um erro, e tudo vira contra a marca. Um acerto, e ela é adorada com um ursinho de pelúcia, a ser agarrado em dias frios. Defendida com unhas e dentes. Mas ainda sim, o Marketing Live ganhou destaque nos últimos anos, e como assina a matéria do PromoView, ela é utilizada há mais de 30 anos.

  • Marketing Live – É uma ação promocional de marketing que atende pelos recursos de interação que envolvem sobretudo, como indicadores, as emoções do público. O contato e afetividade, tornam partes relevantes em análises destas ações. As tecnologias atuais tornam mais evidentes esse tipo de estratégia.

 

  • Dificuldades – O público não se aproxima de uma marca por uma venda pressionada, agora é necessário haver um sentido, ter uma história, fazer uma conexão. Uma pessoa não compra um produto por recomendação, mas por sentir o que o produto traz para ela. Os benefícios são abstratos, e podem superar inclusive a observação. Uma lágrima pode ser de tristeza, mas não necessariamente uma repulsa a experiência.

 

  • Outro nome: Marketing de entretenimento – Marketing Live não é novo. Apenas ganhou uma nova roupagem. Vivemos numa época de mudanças, e mudanças de época. Nossa geração muda á cada 10 anos. Cada público enxerga o mesmo produto de diferentes formas. O tempo da uniformidade está acabando, e em breve o marketing de massa dará ao de nicho, e sob a estratégia do marketing live á todo instante e lugar.

 

  • Lojas conceituais – Experimentam o contato do cliente ao ambiente caracterizado pela marca. O Branding acontece pelo público. O público define o ponto de partida da relação. Existe um processo de identidade com a marca. Isso é comum em lojas da Apple (específicas), um nicho, uma partição, uma identidade – conhecido por cell (Grupos células)

 

Anúncios