Tem pensando em dar uma vida útil aos seus lucros?

Lucrar tem sido o objetivo do mercado desde dos primórdios. No tempo das feiras, onde o comércio era feito por uma negociação cara-a-cara, comerciantes tem aperfeiçoado suas técnicas de vendas com produtos, brindes, extras, tudo para cativar o cliente á sua tenda. Atualmente não é diferente, algumas empresas investem pesado em uma experiência envolvente, mas quando não há capital para sustentar um show incrível, como as empresas podem se sobressair neste grande oceano competitivo?

 

1.Estender a vida útil do produto

Em Marketing conhecemos que todo produto original (primário) é chamado de produto guarda-chuva. Quando ele é lançado normalmente são criados subprodutos do mesmo como por exemplo, um desenho da Disney ganha lancheiras, pastas, cadernos, spin-offs, camisas, bolsas, sapatos, games, comida, balas e etc. Este processo cria uma longevidade para o produto original, que acaba tomando forma cultural.

2. Criar uma experiência para o público

Somos movidos pela intensa e progressiva possibilidade de explorar uma novidade. E as empresas pensam exatamente na palavra chave mais importante para elas – criar memórias no público. Se a memória for muito bem construída, o produto ganhará uma nova roupagem. Nenhuma boa experiência deixa de lado o recurso da lembrança. Toda vez que uma pessoa sentir aquele cheiro de bala, ver aquela combinação de cores, ou mesmo ouvir o prelúdio daquela canção, irá lembrar do PRODUTO, e instantaneamente da EMPRESA.

3. Garantir a margem lucro por Cauda Longa

O autor Chris Anderson escreveu em sua obra conhecida como ‘Cauda Longa‘ que o mercado não vive só de hits, grandes sucessos, e sim de produtos que comem pelas beiradas. Que acabaram ou nunca foram parte do estrelato. Mas que o lucro nunca de fato chega a zerar. Um produto que gere lucro, mesmo que não exorbitante, além de propiciar um pé de meia corporativo, também registra na memória do público, a marca. Se a empresa não tem notoriedade como uma Disney, ela pode pelo menos, ser referência regional por décadas.

4.Identidade da marca ou empresa

Produtos são produtos, a experiência que eles criam e as necessidades que promovem ao público, é o fator vital á empresa. Essa experiência que cria boas lembranças, agrega a memória do indivíduo a ‘imagem da marca’. Quase todas as grandes empresas, investem inicialmente em uma relação de marca-público. Tomando como partida, o poder de colaboração. O que a marca torna útil á pessoa, e que a pessoa pode contribuir com a marca. Marcas que vedam os olhos para o público, vela por sua própria existência á longo prazo.

5.Superar épocas turbulentas

Todos os anos, mal ou bem, existem ciclos turbulentos na economia que elevam os preços, sustam os salários e a inflação grita “ALTO LÁ”. As empresas viram reféns da austeridade, e apelam para promoções, queima de estoque, OFF á todos os lados. Um produto que tenha ganhado um lugar na estante, mesmo em tempos tranquilos ou não, sempre irá atrair aquele cliente que acabou virando fã dele, após tanto tempo de exposição. Esses produtos são os que fazem valer, o pé de meia corporativo. Ao invés de elevar preços sobre produtos premium, pode-se manter o mesmo de sempre, inclusive em tempos, em que seu público, não pode pagar mais. Com certeza esse fator, tratará a melhor experiência de suas vidas.

Anúncios