Instituto de Pesquisa confirma, 56% preferem filmes dublados nos Cinemas.

Uma pesquisa realizada pela Datafolha Instituto de Pesquisa para o Sindicato das empresas distribuidoras cinematográficas do município do Rio de Janeiro entre 2007-2012 envolvendo uma amostra de 2000 pessoas entre todos os estados que a indústria de cinemas é mais forte, revelou que as classes que mais frequenta o cinema é a classe A\B, que Blu-ray é que menos tem popularidade, que a Tv A cabo tem ganho força, e a tv aberta anda perdendo terreno. A internet está com toda força, e os filmes dublados no Cinema, são o xodó do momento.

No Cinema, só filme dublado, opina 56% dos 2000 entrevistados (Imagem: Reprodução)
No Cinema, só filme dublado, opina 56% dos 2000 entrevistados (Imagem: Reprodução)

A quantidade de pessoas de 2000 ao responderem que preferem filmes dublados no Cinema correspondem á 1.120 (56%) dos entrevistados. Mas não se enganem em relação a classe. Muitos acham que a classe C povoam esse grupo, mas a verdade é que ela cria uma média com a classe B. Com uma frequência de 49% contra 41% da classe C.

Em cada grupo de públicos considerados como Frequentador (Vai ao cinema) , potencial (Vai esporadicamente) e light (Poucas vezes e não tem interesse), a classe A mantém uma média ínfima de crescimento de 1%, 2% e sem qualquer alteração em cada um dos grupos respectivamente. A classe B ela cresce com mais intensidade com 5%, 12% e 7% e a classe C perde 2%, 14% e 5%.

Para melhor analisar. A classe B para o público que ‘povoa os cinemas’ teve um crescimento de 1% quando que a classe C teve redução de 2%, enquanto que os que vão esporadicamente cresceu 12% contra a queda de 14% da classe C (enorme disparate), e para os vão poucas vezes ou não tem interesse houve a classe B diminui 7% e a classe C aumentou 5% (que passaram a fazer parte do grupo potencial.

Podemos entender que a classe B aumentou de tamanho significativamente em relação a classe C. Em média a Classe B subiu 8% e a classe C desceu 16%.

O total do público avaliado segue em média que as classes A,B,C,D e E foram consideradas adotantes do áudio dublado. Pouco mudou, considerado a margem de mudança insignificativa a preferência. Em 2007 56% preferiam dublados, em 2012 o mesmo valor. Assim com os oque preferem legendados manteve-se imutável em 37%.

O grupo frequentador percebe o valor de 56% em ambas as épocas com o nível “Heavy” (Máximo) em 2012 com um valor de 51%. Quer dizer que as classes B\C (mais emergentes da pesquisa) são os responsáveis pela manutenção da preferência por filmes dublados num espaço de 5 anos, considerando os verdadeiros “ratos” de cinema.

Análise de Marketing.

Alguns cinemas são capazes de colocar em todas as salas filmes dublados, mesmo dispondo de opção. O público que prefere filmes legendados são significativos sendo considerados da amostra em 880. Geralmente a lotação das salas são de 250-320. Em média um cinema pode ter 4-6 salas ou mais. Se considerarmos em 6 salas, cada uma 323 lugares. Temos:

  • Total de lugares: 1938 (ocupação por hora) – considerando um filme de 2 horas.
  • O total sessões por dia: 6 por sala (iniciando a sessão após 12:00)
  • Total de público por dia:  11.628 clientes

marketing-pesquisa-de-mercado-achismo-erros-estrategia

Se alinharmos os 56% com esse total teremos que 6.511 preferem dublados e 5.117 preferem legendados. Na grande maioria das vezes, as salas assumem 4/6 das salas para filmes dublados, em alguns casos, pelo números de filmes estreados, são inteiramente dublados promovendo 100% de cópias dubladas. Se considerássemos aqui, uma rejeição do público que prefere o legendado com 100% se segurança.

O cinema que cobra em média, na pesquisa os dias mais frequentados é sábado, e portanto mais caro em média 36,00 por filme. Haveria um prejuízo de R$ 184.212,00 (44%) por um dia. Além dos custos de manutenção da sala, compra de estoque do bombeniere, pagamentos de funcionários internos e terceirizados, considere este valor diário. O valor muito se aproxima dos 50%, do valor líquido, é um mal negócio.

Não há dados na pesquisa que revelem o comportamento de aceitação ou rejeição do grupo da preferência por legendados. Mas nos tempos de vaca magra, o Cinema pode perder dinheiro caso os usuários optem por ver filmes na internet ou TV á cabo, que igualmente cresceram bastante no período de 5 anos, oferecendo inclusive legendas ou dublados. O foco de manter o dublado, pode ser bom agora, mas ao longo prazo pode significar uma perda ‘substancial’ de público.

Na verdade, a indústria de cinema já está criando um novo público, que é justamente do crescimento referente da pesquisa, os que preferem dublado. E afunilando este mercado, elas dão abertura para concorrência. Netflix, Amazon.com, Youtube, Vimeo, A pergunta que o Marketing faz é: O que faz uma pessoa preferir o CINEMA ou a tela do PC? (Excluindo televisores com 50-60 polegadas)

A partir desta pesquisa de carácter quantitativo, eu realizaria uma qualitativa. Para entender a longo prazo o que o mercado de cinema pode vir a esperar. Com uma formação de público centrado no dublado, os demais estão procurando alternativas com mídias excludente da TELONA. Mas que acabam por cativar públicos que procuram opções, facilidade e personalização. Qualidades das quais o cinema não ‘oferece’.

Clique aqui para visualizar a pesquisa de consumo do SEDCMRJ.

Confira mais novidades pelo Facebook do Mundo Pauta.

 

Anúncios