Por 2,5 bilhões de dólares, a gigante de tecnologia adquiriu Minecraft.

Markus “Notch” Persson desenvolveu e criou Minecraft em 2009, que ganhou adeptos fervorosos na plataforma de origem, o PC. Com inúmeros mods, com mundos com infinitas possibilidades, ninguém esperava mais nada, quando o ‘lego moderno’ ganhou o espaço nas plataformas em 2013, e em 2014 manteve o contrato de lançamento para Ps Vita, Xbox One e PS4. Mais uma coisa está deixando muita gente com a pulga atrás da orelha, por que cargas d’água, a Microsoft desembolsou 2,5 bilhões de dólares para comprar Minecraft?

Compra da Microsoft surpreende fãs, desenvolvedores e o mercado (Foto: Reprodução)
Compra da Microsoft surpreende fãs, desenvolvedores e o mercado (Foto: Reprodução)

A notícia já causava preocupação nos fãs antes da finalização dos contratos, o que será de MineCraft saindo das mãos da Mojang e o 4J Studios e migrando para os grandes laboratórios da Microsoft? Quando a compra por 2,5 bilhões dólares rodou o planeta, a principal chamada era pela saída de  “Notch”, no entanto o criador do MineCraft não largou tudo, ele detém 71% de controle da nova aquisição da Microsoft.

Os últimos nos mercado tem saltado os olhos para empresas que gastam bilhões em compras de aplicativos, programas para cercar o seu público. Facebook tem tentando comprar todos os nichos possíveis que encontra. Desde o Instagram, ao WhatSapp, sua última aquisição. Facebook monta sua estratégia baseada em abrangência de público. E não é diferente com outras empresas que precisam criar um freio para os concorrentes, é um acelerador para os próprios.

Minecraft não é um jogo, é uma marca, mais ainda, é um valor. Nas saídas comuns do Mundo Pauta a procura de reportagens, me deparei com um verdadeiro Merchandising do ‘jogo’. Desde de bichos de pelúcia, á bonecos exclusivos, de camisetas, a almofadas estilizadas, quadros, estátuas, versão do Dummies (Minecraft para leigos), calendários, guiais oficiais, produtos decorativos (Abajures, casa e quarto e etc) e produtos para divisão de brinquedos. Temos ainda uma ampla  expansão do título para as plataformas ‘hit’.

Microsoft e MineCraft (Foto: Reprodução)
Microsoft e MineCraft (Foto: Reprodução)

A portabilidade, uma característica muito comum e desejosa dos tempos atuais, garantem ao Minecraft uma rentabilidade onde quer que ele esteja. Com a previsão de chegar ao Windows Phone, não há limites para o mundo quadrado de Notch. Ainda a versão do PC que possibilita uma criação massiva com os ‘circuitos digitais e lógicos’, utilizando o recurso Redstone, é possível de fato criar mecanismos incríveis, uma matéria recente assinada pela info, descreve o que um usuário foi capaz de criar para gerar um Iphone simulado dentro do jogo.

O que descreve claramente a potência do jogo. Como um verdadeiro ‘maker’ da era moderna, agradando a diversos públicos, erroneamente atribuído ao público jovem, MineCraft cobre um público bem maior do que se imagina. Outro usuário, fã da Valve, trouxe a plataforma, o Portal. Sucesso no Mundo, é um jogo que preza pela simplicidade rica em complexidade. Oferecendo aos jogadores uma possibilidade de explorar um ambiente sandbox com suporte multijogador com promessas criativas sem limites.

A matéria assinada pelo Olhar Digital, lista 5 motivos pelos quais a Microsoft comprou o título.

Já seria natural que comprassem devido ao comportamento das grandes empresas em querer adquirir ‘market share’ com data pré-fabricada. Por que gastar em exploração, quando alguém já fez isso e fez muito bem? Xbox One em matéria de competitividade tem superado em muito a Sony nesta geração, com seu quase fiasco PS4, não poderia perder a oportunidade de inclusive adquirir um jogo que roda na plataforma da concorrência.

Project Spark e a campanha "#Eupossoprrogramar" (Foto: Reprodução)
Project Spark e a campanha “#Eupossoprrogramar” (Foto: Reprodução)

Durante algumas semanas após a compra do Minecraft, a Microsoft, mais Google e Facebook lançaram uma campanha mundial chamada Eu posso programar, que incentiva o ensino da programação nos níveis iniciais da educação, em aplicação ao ensino fundamental e médio. Na mesma semana o “Projeto Spark” foi lançado. Trata justamente de um ‘game maker’ com gráficos Cartoon 3D que possibilita a criação de uma inteligência artificial aos personagens utilizando blocos de programação funcional.

Funcional porque você não vai programar a linguagem num console do tipo MS-DOS ou utilizando um IDE como Netbeans. Mas sim um ambiente intuitivo, apenas construindo as bases das ações dos personagens, chamado cérebro, onde “When” (Quando a condição for essa) então “Do” (Realize tal ação). O propósito é aprender programação enquanto cria um jogo e compartilha na rede própria do Spark disponível de forma interna ao jogo.

Spark é uma versão melhorada do Rpg Maker visto por aqui no Brasil em idos de 2002, que também permitia através de uma janela de diálogo o controle pelo ‘if\then\else’, um bloco de controle mais próximo da programação na muñeca. O Projeto pode ‘oferecer’ o que a Microsoft quer, ao comprar MineCraft na questão de jogos. Como a temática é criar num mundo quase infinito e dispondo de recursos podem criar mecanismos, é um prato cheio para a gigante.

Conclusão.

Agora a espera divide o grupo de fãs que já colocam o final triste para história. Uma é a alteração do código do jogo, acabando com a diversão e limitando os recursos, assim, matando o que atraiu o público atual. Ou segundo, atualizando os padrões de gráficos para uma realidade da geração atual, atendendo á uma ilimitação de caminhos de criação maiores, e abrangendo ainda mais as alternativas e conteúdos que o jogo abre as possibilidades.

O que não pode ficar mais em dúvida, é porque a Microsoft comprou Minecraft. O valor de mercado, exposição, market share, segmento, merchandising e multi-plataforma e um vasto público, culminou num ‘ganho’ irreparável. Embora o retorno da receita esteja prevista para 2015 possa parecer impossível para muitos, entenda, há lojas nos Estados Unidos especializadas no assunto. Não é tão difícil pensar que o resgate a acontecerá na data prevista, senão antes.

Confira mais notícias e novidades pelo Google + e Facebook do Mundo Pauta.

Anúncios