Matriz construida pela Boston Consulting Group pode ser adaptada.

Há alguns dias li um artigo que apresentou uma proposta muito ‘atual’, um contexto que as empresas necessitam voltar-se para adquirem um espaço ao sol. Com tantas tecnologias e informação diversas ao nosso dispor, nossa maior vantagem é criar diferenças entre os nossos concorrentes. E a máxima do marketing é de seguir a receita de bolo – “Copie e faça melhor”.

Mas nenhuma empresa consegue sair do lugar apenas fazendo o ‘copie’, ela garante que seus produtos sejam visualizados, e talvez comprados, mas não vai superar o seu concorrente que já domina a praça. Muitas literaturas batem na tecla valores de diferenciação, nivelamento do preço como ação de atração ou mesmo interação, dar um espaço ao cliente para que possa experimentar e oferecer sua opinião.

Mas nada trabalha separado, apenas combinando cada uma destas táticas, é que é possível criar um novo mercado, que é a estratégia quase de ‘cão’ utilizada pelas organizações para sobreviver. Não ter concorrentes relevantes (Estratégia do Oceano Azul) é o sonho de todo empresário, mas essa realidade pode ser muito dura de ser atingida, e levar anos para tê-la em mãos.

A chamada provocativa da autora Dolores Affonso, especialista em Marketing e consultora, em seu artigo – “Você é um colaborador vaca leiteira, estrela ou abacaxi?” desperta pelo uso inovador da ferramenta criada pela Boston Consulting Group para avaliar que produtos estão crescendo ou saindo do mercado, para uma nova abordagem, qual é a força do seu colaborador em sua empresa?

Colaboradores são avaliados de várias formas em sua performance, seja por ele mesmo, ou por terceiros. Sua capacidade de absorver o que lhe é demandado, pelo que ele é capaz de produzir. E não apenas seguir as rotinas básicas do seu dia-a-dia, como também em inovar.  O artigo externo apresenta uma nova forma de vez a matriz BCG.

Este artigo pega esta ideia e aplica na ação do Personal Branding, ou seja, o marketing pessoal. Existindo várias ferramentas para montar como é que o mercado vê você. Na maioria das vezes, quando um ‘possível’ candidato para uma vaga de emprego sai da faculdade, ele é visto como um ponto de interrogação, as seleções (RH) tem o objetivo de filtrar esse pensamento para pelo menos um candidato indo para o estrela, descartando os abacaxis.

Criar o marketing pessoal é criar este mapa sobre você mesmo. Mas sem excluir características externas ao lado profissional. É para considerar inclusive os pontos do SWOT como base formadora do BCG – Personal Branding. Não é possível definir uma pessoa vaca, estrela, interrogação ou abacaxi, apenas por observação. E um período que só compreenda a faculdade para cima.

É como montar uma árvore de habilidades. O que o faria ser uma pessoa estrela? Ou melhor, seria interessante avaliar partes ao invés de todos. Talvez sua habilidade seja considerada interrogação na área de conversação, mas sua habilidade cooperar seja estrela, e sua administração de negócios seja vaca leiteira. A matriz de BCG é uma visão detalhista da  SWOT, que serve para identificar e organizar quais pontos fortes e fracos devemos trabalhar.

Confiram as notícias e novidades no Google +, Twitter e Facebook do Mundo Pauta.

Anúncios