Pop-ups são janelas suspensas que possuem um temporizador para surgirem na tela do seu cliente, e o seu objetivo é trazer e direcionar sua audiência para uma informação que você julga relevante. Vamos entender através de 5 fatos para o uso deles, e COMO usa-los.

Neste artigo vamos ler sobre:

  1. Pop-up que fecha e abre nova informação
  2. Pop-up no mobile
  3. Pop-up para promoções
  4. Pop-up interrompe a leitura
  5. Qual é o objetivo de usar Pop-up?

Introdução.

Se sua estratégia considera a informação relevante a sua audiência, ela também raciocina que qualquer distração corta o poder de transmissão entre o seu produto e o seu cliente. Informação exposta é diferente de informação forçada, e um dos pontos mais subjetivos do Pop-up é justamente de cortar a atenção e forçar a leitura.

Considere que seu conteúdo é relevante a partir do momento que consegue prender atenção do seu público. E para todos os efeitos, se consegue mantê-lo ou atraí-lo é porque seu público tem interesse por sua marca de alguma maneira.

E então a pergunta, por que e quando usar Pop-up?

Pop-up que fecha e abre nova informação.

Você está lendo no site e de repente no ápice surge um pop-up bem no meio da tela, bem no ponto que você está lendo. O X ou o botão de fechar não esta á vista. E quando o X aparece ele é pensado da seguinte forma, só surge após o tempo de você ter lido a informação mais essencial, então você clica e a mágica….errada acontece. Você abre outra tela que é referente aquele pop-up.

O primeiro erro é achar que o pop-up é uma chamada especial de conteúdo. Mas só se for feito de forma equivocada. Muito raramente utilizo pop-ups, e quando o faço, coloco sob uma página com informação mínima e não textual. Pop-up é como um ator principal. Ele tem que ser o único protagonista da cena, senão vai criar conflitos com os outros atores…e no meio dessa briga está o seu público que decidiu sair da página antes de começar a abraçar a ideia da marca.

Pop-up no mobile.

É dispensável. Mobile é um dispositivo que está na mão. Precisa ter informações diretas com ações a eles conectadas e prontas para serem usadas. Você leu sobre um produto, e procura por um carrinho de compras. É imediato essa reação, não é? Mobile responsivo é uma construção voltada para tomar decisões munido de informações cruciais. Quanto mais informação você colocar no mobile, mais pesado será e mais fácil de ser rejeitado pelo seu público.

Corte animações, slides, multimídia e pop-ups. Pense em como é o uso do pop-up em uma janela já pequena com um recurso que obviamente vai causar caos visual? Sim, o pop-up no mobile se aplicado é preferível ser removido e ser utilizado como outra forma de solução. A menor aplicação ou programa de geração de Pop-up além de poluir sua interface, também causa prejuízo em carregamento de tela.

Sem falar é claro de interromper o acesso a informação, que já é prejudicada pelo tamanho do dispositivo e manuseio das informações por touchscreen. Imagine um pop-up com um X de 1 mm para a proporção da tela?

Pop-up para promoções.

Até aqui vimos dois pontos negativos do seu uso. Mas o Pop-up é como uma carta de aviso. Um pouco diferente do e-mail marketing e notificações, essas das quais vemos em redes sociais. Pop-up é uma informação direcionada e focada em atrair público para algo em específico. Quando esse algo em específico luta com outros conteúdos específicos, caso do item 1 dessa lista, o pop-up torna-se a distração do seu site e claro, o tiro do pé no seu negócio.

Quando você lança uma promoção sobre algum produto, o pop-up pode ser usado como uma informação alternativa sobre aquele produto ou ainda o ‘link’ para saber mais sobre a promoção que mais afete as necessidades e vantagens do seu cliente. É normal ter pop-ups em e-commerce, não é a toa. É como entrar em um loja física e ver uma placa enorme enfeitada na frente da loja.

Qual é a informação de um e-commerce? Produtos na prateleiras. Pop-ups são bem vindos por tratar justamente de uma jogada de venda que permite orientação dentro de uma loja virtual. Diferente de um conteúdo corporativo encaixado em um site que divide informação textual.

Pop-up interrompe a leitura.

Definitivamente a interrupção ocorre. A pergunta essencial é, o que você pode interromper que não vai significar perda de informação e audiência? Pop-ups são como luzinhas de natal, elas conseguem prender a atenção, mas também tirar. E isso significa que usa-la perto de uma árvore de natal pode ser irrelevante ou prejudicial.

Pop-up é uma alternativa de complemento, e não uma informação completa. É como um post-it. Se virar um outdoor, com certeza você vai ter perda substancial de informação e visibilidade. Lembre-se de pontuar seus objetivos ao implementar pop-ups em seu negócio.

Qual o objetivo de usar Pop-up?

Se você quer criar conteúdo e relevante. Precisa ter noção de conteúdos e suas diferentes formas. Um conteúdo textual, corrido, animado, destacado ou em formato de campanha possuem diferentes potencialidades. Pop-up é como o e-mail marketing, se não for direcionado e bem posicionado, será custo e não investimento. Se há um bordão que posso dizer que existe em publicidade é saber que alvo apontar e saber atirar.

Pop-up são funcionalidades que podem ser essenciais ou prejudiciais vai depender de todo um cenário que é aplicado. E não é aplicável a todos os cenários, e nem sequer frequente. Pop-up é como uma oferta. Se você usa-la em demasia, não é mais uma oferta. É o preço padrão. Pop-ups são como post-its ou luzinhas piscantes. Se ela piscar o ano todo, ela não terá feito chamativo desejado e nem sequer direcionado, será voltado para um alvo em massa e sobretudo generalizado.

Sem falar é claro que na visão de funcionalidade, se a aplicação é equivocada. Imagine na questão de operação e tecnologia quando que o seu uso pode aumentar o tempo de carregamento e a queda significativa de performance. É o mesmo que carregar um outdoor de 10 toneladas em cima de uma carro que não é adequado para carregar materiais pesados. Vale o custo pelo benefício para este nível de retorno?

Conclusão.

Pop-up são aplicações Web que precisam ter um respaldo estratégico da marca e não pode ser usado a torto a direito sem ter em mente que impacto positivo e negativo causará. Pop-ups em sua grande maioria são aplicados de forma errada e acabam não possuindo o resultado esperado.

Quem é?

Publicitário / Designer / Consultor / Palestrante / Empresário e CEO da Junqueira Consultoria. MBA em administração de Marketing e Comunicação Empresarial (UVA), Marketing de Relacionamento – CRM (IBMEC). Especialista em Marketing Jurídico, Relacionamento e Redes Sociais. Colunista no Instituto Vendas.

 

Anúncios