Não é incomum encontrarmos anúncios oferecendo uma proposta, e lermos uma outra completamente diferente quando somos direcionados para o texto completo. Estava pesquisando por métodos de construção de links patrocinados e entrei em contato com um daqueles anúncios do Google Adwords que dizia claramente – “Crie seu site – por apenas 100,00” (Preço fictício) e tive uma surpresa quando cliquei no anúncio.

O site anunciava que o preço mínimo era de 100 reais. Vamos analisar. As palavras usadas, apenasvalor mínimo são dois pontos extremamente diferentes. No primeiro caso você considera que qualquer pedido, tamanho ou complexidade, apenas serão cobrados 100,00. Mas quando entra no site nota a discrepância da comunicação, e claro a famosa sensação de  ‘isca’. E esse é o problema. Não anuncie preço, promova valor e então o preço será apenas um detalhe. O segundo problema é, diga a verdade, não faça rodeios. Seu cliente não é bobo, certo?

O objetivo neste caso da marca é de conseguir cliques no anúncio (views), e não conversão (compra). No entanto os views de um anúncio patrocinado não possuem o mesmo sentido das redes sociais. Uma curtida gera relevância, ou seja aumenta a visibilidade do post na rede. O anúncio patrocinado já está sendo impulsionado pelo pagamento. O seu objetivo é de gerar compras e não ‘curtidas’. Ou seja, é um CUSTO enorme quando um patrocínio é feito desta forma.

E vamos ver os 5 pontos que são importantes na hora de construir anúncios (Digitais e não-digitais).

COMUNICAÇÃO PERSISTENTE

Toda informação precisa ter consistência e modelos uniformes para que o seu público não perca tempo com aprendizagem e interpretação. Se você vende criação de sites – precisa construir essa ‘criação’ de ‘sites’ a cabeça de quem lê. Não seja mirabolante, simplifique. E tome como base que essa comunicação não pode mudar de modelo e forma. Uma vez que seu cliente só vai confiar em você, caso ele consiga confirmar que sua solução é benefício para ele.

E sobretudo não faça promessas. Quando elas são ditas, elas precisam ser cumpridas. Quando não são. O efeito é que você não é o que diz ser. Avalie que existem as promessas possíveis de serem concretizadas, e outras que são surreais demais. Então esse cuidado precisa existir.

ANÚNCIOS,E NÃO APELOS

Anunciar não é apelar. Quando acontece, não houve sequer um planejamento simples de desenvolvimento do anúncio. Quando uma propaganda precisa apelar ela não consegue conectar o cliente com a solução oferecida. O anúncio precisa ser informativo e direto com o seu público. Quando uma marca consegue fazer entender em simples palavras, não precisa usar de polêmicas ou falsas promessas.

Seu anúncio precisa atrair compradores e não visualizadores. Não use de chamadas bombásticas. Informe seu cliente.

INVESTIMENTO DEPENDE DA ESTRATÉGIA DE CONSTRUÇÃO DO ANÚNCIO.

Precisamente, mas não unicamente, o sistema Adwords trabalha com o formato de leilão que avalia a qualidade do anúncio que inclui segmentação e valor investido. Não adianta investir 200 reais e achar que ele vai ser bem destacado. É realizado uma classificação do que você informou e o Google então emite uma nota.

Seu anúncio pode ter 1.000 reais investidos, mas ele não garante posicionamento TOP. Ele garante que diariamente um valor médio será cobrado desse total de verba. O que garante o TOP é a qualidade de construção do anúncio, que depende inteiramente da sua estratégia de Marketing.

Quando você monta um anúncio sem qualidade, o Google Adwords, costuma julgar e posicionar seu anúncio conforme o comportamento da rede.

NÃO USE BAITS (Iscas)

O uso do preço é o mais conhecido. E também consiste em um erro grosseiro de publicidade, ainda mais quando se trata de serviços. Você não oferece o valor antes de oferecer a solução. Nenhuma boa solução é avaliada por um prévio valor. Pense da seguinte forma, o quanto que um projeto pode ser considerado complexo se tratando, por exemplo de um redesign de marca? Estamos falando de apenas design ou de branding? O que significa refazer essa estrutura?

O uso do preço mascara a intenção real. Como oferecer muito com pouco? O único sentimento garantido que seu cliente vai ter é desconfiança.

NÃO USE A PROVOCAÇÃO DE CONCORRÊNCIA PARA OFERECER QUALIDADE

Tão comum quanto o uso do preço no item anterior. Superamos a concorrência? É familiar? Somos uma empresa melhor que muitas agências. Que agências e o que supera elas? Ou melhor, o que faz uma agência ser favorita ou não pelo público, para que a empresa seja superior? Quando a informação é “Somos melhores indicados da praça” não é uma boa estratégia. A não ser que demonstre que são os melhores da praça com prêmios recebidos por tal afirmação.

Em todos os casos, essas aplicações conhecidas como frases de efeito soam piegas para o seu público. E são chamadas que supervalorizam uma qualidade que não se consegue no primeiro contato.  Ser melhor que todas as agências? É difícil. Cada uma delas possui qualidades muito diferentes. Quais agências podem ser consideradas excelentes? E sua empresa consegue ser melhor que elas? É um tiro no pé anúncios construídos com essa premissa.

O seu objetivo não é ser melhor que o seu concorrente, é ser melhor para o seu cliente.

Conclusão.

Anúncios são textos\Mídia informativos(as) e comerciais que precisam oferecer o serviço destacando possíveis soluções. Nada que possa comprometer um futuro contato oferecendo qualidades que são só percebidas pelo cliente, em especial, em contato direto com quem realiza o serviço.

Não há como prometer agilidade de serviço, sem antes de oferecer uma análise do pedido. E quando o uso do preço é usado como um recurso de atratividade, não é tático, apenas porque o preço não aborda a qualidade de serviço que o cliente procura.

E se ele quer um treinamento personalizado? Mas o preço é avaliado como caro? Porque preço versus soluções, normalmente o seu cliente vai preferir pagar menos. Quando ele avalia que aquela solução mesmo sendo cara, mas é o que vai atingir o objetivo dele, ele negocia. Mas a única referência dele é o custo para casos como estes, ele vai fazer o que todo consumidor sábio faz, procurar um mais barato.

Preço não é um indicador de publicidade ou de qualidade. Ele é um fator de decisão de rejeição com um índice alto. Lembre-se, sempre haverá alguém que vai cobrar mais barato que você. Mas nem todo mundo oferece serviços de qualidade. Qual é a melhor decisão a tomar neste caso?

Faça o teste – Pergunte o preço de algum produto antes de experimenta-lo. E veja como a percepção muda. Faça agora ao contrário.

Quem é?

Publicitário / Designer / Consultor / Palestrante / Empresário e CEO da Junqueira Consultoria. MBA em administração de Marketing e Comunicação Empresarial (UVA), Marketing de Relacionamento – CRM (IBMEC). Especialista em Marketing Jurídico, Relacionamento e Redes Sociais. Colunista no Instituto Vendas.

Participe do grupo “Marketing de Relacionamento”:

https://www.linkedin.com/groups/7056049

Contribua também para a Pesquisa de Atendimento e Relacionamento com o Cliente (Redes Sociais):

https://goo.gl/forms/hU0Ss4ETpQl5kVMg2

 

 

Anúncios