Introdução.

Redes Sociais são um prova muito bem argumentada na imprensa, livros e relatos que possui poder e alcance. Algumas empresas e pessoas utilizam como um verdadeiro rojão para torna-los visíveis ao seu público. Usam de vídeos, de post, blogs, sites, lives, webinar, memes e tags, inclusive como força de manifestação e expressão.

É uma ferramenta poderosa para qualquer negócio. E que necessitam obviamente de um profissional hábil para lidar com esses canais, uma vez que o trabalho do famoso Social Media ou do Analista de Marketing Digital não se resume a publicar posts ou usar as informações do Dashboard Analytics para fazer previsões.

O profissional trabalha com a habilidade de Marketing, Publicidade e Design focado em captar clientes e negócios a melhor maneira possível alinhada ao objetivo da organização. Este foco é um engajamento realizado com uma comunicação mais mercadológica, mais centrada no lucro e o desenvolvimento de um perfil, o perfil da empresa que se identifique com o seu público alvo.

1. Captação de Clientes e Negócios

Assim como serve para anunciar oportunidades, a internet se tornou também um canal de negociação para captar clientes e Negócios. Sem os limites regionalistas e os obstáculos físicos, não há praticamente problemas para investir em parcerias e novas oportunidades em outros lugares.

As Redes Sociais se tornou um marco para este processo, pois agora podemos construir uma postura mais confiável diante dos futuros parceiros e clientes e de forma remota. Esse canal permite através de um planejamento coordenado criar uma solidificação que você existe e que posso entrar em contato e que o seu negócio é favorável.

2. O custo é relevante e o benefício evidente

Quando o custo é relevante ele é compreendido como investimento. As Redes Sociais demonstraram seu poder ao longo de uma década, e convenceu diversas empresas que ter presença nela era indispensável.

No passado, não tão remoto, a frase – “Não ter presença na internet, era ser invisível” hoje é muito mais que um bordão. A existência de uma conta social ou um site, se tornou parte do negócio, mais que óbvio, de visibilidade e sua relação intensa com a rentabilidade (lucro).

Isso gerou um crescimento de websites na internet no começo do século 21.

Mas o processo não é automático, ainda que as empresas sejam capazes de se tornarem presentes na internet, elas precisam de uma visão tática e planejamento consistentes com suas ações, tanto no presente como no futuro. Notem o trabalho da Junqueira Consultoria com este cliente aqui – desde do processo de criação original, ao trabalho de design, a redação e a interação.

Esse desenvolvimento precisa ter a companhia de profissionais especializados, estamos falando de um canal que foi capaz de criar mercados de forma instantânea ou mesmo de desaparecer com nichos inteiros.

A percepção profissional torna esses passos nas redes mais precisos e eficazes. E claramente o benefício é evidente. A rede social é uma ferramenta, quem a torna eficiente é o profissional.

3. Tem como identificar e segmentar o público

Sim. A rede Social é uma ferramenta de segmentação e comunicação perfeita. Enquanto que as empresas no passado sem o uso dela seriam incapazes de perceber com agilidade quem era o seu público, precisando mesmo através análises de comportamentos e percepção de experiências do cliente-produto por ora provando ser deveras incerto, impreciso e lerdo.

Com a internet a empresa pode criar grupos ou mesmo identifica-los. É uma marca registrada do ‘cliente-virtual’ ser alguém que adere a estilos de vida com extrema rapidez, ainda mais na internet onde a tendência e principalmente a linguística (terminologias e gírias) sofrem mensalmente com mudanças.

A observação da mudança do comportamento do consumidor que é um dos pilares vitais de qualquer negócio ter sucesso, é torna-se ‘praticamente’ aberto para ser notado. É bom lembrar que o Marketing de uma forma intensa realiza avaliações dessa mudança para criar ações e campanhas que gerem empatia e motivação para efetuar uma compra.

Usando inclusive outras vias que a utilizada na internet, uma vez que o comportamento de um mesmo cliente sofre uma variação pequena ou grande dependendo do ambiente onde ele está, seja o físico ou o virtual.

4. Identidade corporativa e Social

A possibilidade de uma marca criar uma imagem no seu público que seja positiva, única, poderosa e presente é o sonho de ouro. As Redes Sociais conseguem permitir que uma identidade seja criada. E com uma certa facilidade. No passado a propaganda possuía seus recursos para atingir a emoção humana e assim persuadir a compra, mas encontrava limites na construção de marca.

Levava anos para uma marca ser uma marca. Hoje a Redes Social permite ‘marcas instantâneas’. Ainda sim há um cuidado em desenvolver os valores e a abordagem que um negócio oferece para o seus clientes e consumidores. Comunicar um lançamento de um produto sem qualquer foco na estética, no poder da mensagem e no timing certo, configura em uma perda de oportunidade excepcional.

Assim como produzir um post com um design sofisticado, com um link patrocinado no horário de rush, permite que o investimento seja logo percebido. A interação é positiva e notável. As Marcas mesmo que optem pela presença online, precisam cultivar sua identidade profissional e social promovendo essa mensagem através de uma abordagem elegante, qualitativa e direcionada.

Todos adoram um belo cartão postal decorado com uma mensagem clara e direta.

5. Canal de Vendas alternativo

Uma velha discussão, mas a Rede Social é também um canal de venda ou ponto de venda. Não é apenas o e-commerce. O Instagram tem provado dessa teoria há algum tempo. Uma verdadeira vitrine virtual, de uma forma orgânica você consegue encontrar e atrair pessoas interessadas em seu conteúdo.

Mas não é um fluxo tão orgânico se você não se foca. Não adianta publicar mil coisas e pensar que isso vai formar um mega grupo, que não vai. O foco é todo construído com um canal bem estruturado, com um link bem destacado e um bio direta ao assunto. A mensagem vale mais que mil palavras? Post e Imagem. Post e Live e Post e Vídeo. Toda rede social exige interação e foco, e o seu cliente quer tê-la com você.

A venda na rede social ocorre por intensa interação, informação e interesse. Ela é diferente da venda casual. Ela é mais adaptada a uma venda-conversa e diálogo, um incentivo a experimentar e dar todo o poder de avaliação e interesse, e auto-venda para o consumidor. Por isso o Marketing de Conteúdo é tanto presente nas redes. A força da mensagem cria empatia e incentivo emocional.

A interação por sua vez motiva a ação e a resposta. Por isso com um Marketing de Conteúdo bem aplicado você informa, encanta, conecta e vende.

6. Driblar a crise

Investe em Redes Social porque ela é custo zero. Uma frase conhecida pelos publicitários – “Não existe almoço grátis“. O custo da gratuidade é estranho. Vender de graça? Vamos repensar. O custo da Rede Social é proporcionalmente menor que o investimento em mídias tradicionais, como jornal, rádio, revista, televisão e etc.

Usar a rede social  para vender produtos e contornar taxas e custos extras pode ser realmente um desvio da crise. Mas a questão é entender que o custo não é zero. E que estamos falando de custo (monetário) e valor (posicionamento) também. E que envolve além dessas duas variáveis outros inúmeros fatores que regem um negócio promovido na rede.

Sem planejamento ou habilidades especializadas, a crise cria uma evasão por negócios na internet. Lembre-se que além de você, outras milhões pensaram a mesma coisa. E o que parecia ser um campo aberto de oportunidades escasseia em pouco tempo. Quem é o seu público-alvo? Ele se comporta semelhante, igual ou diferente do público pelo meio físico? Como é o acesso a informação do consumidor ao produto pela internet? Como ele decide? E como você está preparado para lidar com essas e outras questões?

O investimento em Rede Social é válido quando há uma rota a seguir. Na internet o que tende a subir rapidamente, tende a cair rapidamente. E em especial se você não possui direção alguma. É necessário orientação, habilidades e objetivos. Todos registrados e intensamente monitorados ao longo de toda a construção do seu negócio dentro ou fora da rede social\internet.

A Internet hoje é um mercado tanto quanto outro, que cresce em valores exponenciais para cima ou para baixo.

7. Olhe diretamente para o seu cliente e observe seu concorrente

Seu cliente acabou de publicar na timeline dele uma excursão que ele fez para Búzios. Outro dia ele comentou que realiza viagens pelo Brasil e gosta de publica-las com a intenção de torna-los como um guia de turismo. Não é incomum entrarmos no Instagram e acharmos nichos de Fitness, Viagem, Comes e Bebes, Festas, Momentos…o público do Instagram é experiência pura.

Total interação. A interação do Story, onde a gravação fica 24 horas e que tem o poder de uma chamada para fãs. Facebook ora um plataforma de Marketing, voltado para agência e uma rede social que permite interação cliente-produto-marca.

Às vezes podemos notar uma interação tão forte, que canais como Netflix que permitem uma espécie de ‘amizade colorida’ entre pessoas físicas e jurídicas, que o produto (Acervo de filmes e séries) passa a ser uma mera desculpa de conversa com a marca.

Twitter um verdadeiro trend. Quer saber das novidades? Tem notícia que saí por lá antes dos Jornais acompanharem. É um verdadeiro painel de monitoração de atividades locais e globais. E o seu cliente está em todas elas. Cada canal permite uma comunicação e comportamento diferente.
Mas a tendência nova agora é evitar que a marca seja ‘multi facetas’. Como assim? Nós encontramos a  marca com um jeito mais ‘cool‘ em uma rede e em outra nem diz ‘bom dia’. A novidade é ser omni-channel e para ontem. Porque as pessoas querem consistência da marca. Estamos falando com a mesma empresa?

O poder da rede social é de torna-lo viável e acessível, no caso a marca com o cliente. Muito mais que o próprio produto.

Mas lembre-se que como você, seu concorrente também está por lá. Outro dia entrei em contato com uma empresa através do e-mail para tirar uma dúvida técnica, e a resposta no e-mail em reação eu ao citar uma empresa X era que aquele “concorrente” não prestava esses serviços e que ela podia cobrir a oferta.

A intenção óbvia era de que algumas empresas lidam com concorrência como um fator de oportunidade, no mesmo e-mail recebi uma proposta para fechar negócio cobrindo inclusive o seu concorrente em matérias de preços, investimentos e pacotes.

Na Rede Social não há uma barreira que divide clientes e concorrentes. É preciso ter preparação. Pois cliente pode ser seu concorrente, como o concorrente pode ser seu cliente ou parceiro. Tudo dependerá de suas estratégias.

8. Qual é a próxima tendência para o seu mercado?

Ler revistas ou jornais, viajar para outros países ou localidades deixou de ser a única alternativa para conhecer tendências. O Mercado tende a ser volátil, mesmo na época pré-internet e tecnologia disruptiva. A diferença é que as mudanças ocorriam a cada 20-30 anos.

E hoje existe uma mudança de geração (consumo, estilo de vida, mudança pessoal, profissional, crises) mensurada para uma década (10 anos). Isso torna as mudanças diárias absurdas. Note que de uma forma menos potencial, os TTs do Twitter são um cenário possível no futuro. A cada dia uma tendência. O meme de hoje não funciona para amanhã. Hoje ele é engraçado, amanhã é ofensivo.

A internet é um canal de comunicação incrível. Podemos notar mudanças e analisa-las em tempo real. Por isso insisto em uma força maior de planejamento quando falo de mudanças.

Quando elas acontecem, sua marca precisa estar presente. Ser o primeiro e demonstrar autoridade, permite que sua marca seja top para o consumidores. O mesmo ocorre quando no momento errado ou comentários sobre uma matéria que não domina, acaba por “desmonta” uma relação e imagem quase que imediatamente.

Mesmo com a identificação da tendência, é preciso saber se a tendência IMPORTA para o seu negócio. Nisso consiste em um trabalho de análises e fiscalização ininterrupta. Sempre com aquelas questões: O quê? Por quê? Como? Quanto custará? Para quem? Quando?

Conclusão.

A Rede Social é uma ferramenta maravilhosa para os negócios. E seus benefícios garantem posição, mercado, visibilidade e lucratividade.
Garantidos sob a supervisão de profissionais hábeis a lidar com as adversidades, os comportamentos, a análise de dados de compra e interação e engajados em serem agentes capazes de captar oportunidades, negócios e clientes e de perceberem quando recuar e agir com toda a força possível.

Quem é?

15622326_1804739003134040_5782145199684047373_n

Publicitário / Designer / Consultor / Palestrante / Empresário e CEO da Junqueira Consultoria. MBA em administração de Marketing e Comunicação Empresarial (UVA), Marketing de Relacionamento — CRM (IBMEC). Especialista em Marketing Jurídico, Relacionamento e Redes Sociais. Colunista no Instituto Vendas.

Participe do grupo “Marketing de Relacionamento”:

https://www.linkedin.com/groups/7056049

https://www.facebook.com/groups/104077403461679/ (Versão no Facebook)

https://plus.google.com/u/0/communities/106633335359074579401(Versão do Google +)

E mais: Contribua também para a Pesquisa de Atendimento e Relacionamento com o Cliente (Redes Sociais) — apenas 10 perguntas!!!

https://goo.gl/forms/hU0Ss4ETpQl5kVMg2

Anúncios