O bordão mais comum é – “Você não tem site, então não está no radar do seu público.” Essa era uma frase muito difundida no começo dos websites há 17 anos. O tempo passa. E agora mais do que naquela época, ter site não é apenas necessário. É preciso ter layout responsivo, adequado aos mobiles (Tablet, Smartphones e Iphones) e ter um e-commerce integrado e ter presença consolidada.

  1. REDES SOCIAIS NÃO É SITE

Não é incomum vermos nas redes sociais negócios tocados para frente apenas através de uma conta social. O que pode parecer uma simplicidade gerencial pode acarretar em um problema mais forte quando falamos de rede. O funcionamento da mesma reproduz uma independência de serviços que caracteriza o estado ativo e desativo de sites, redes sociais, marketplaces e blogues.

Ou seja, se por acaso sua conta social sofrer com um estado de fora do ar, ou ser bloqueada, ou ter o link invalidado por algum motivo você vai estar em mau lençóis. Se ainda recorrer ao fato que rede social é como um chat, a conversa anda, o site é estático garantindo lazer e calma na leitura das informações.

Redes Sociais e Sites combinam, mas não se substituem.

2. SITE LIDA COM CONFIABILIDADE

Sites certificam a informação e se posicionam nos buscadores criando uma força de fonte. Não que as Redes Sociais, ou e-mails, canais de youtube ou telefonemas não possam promover igual efeito.

Mas a informação quando se torna única, centralizada, estática e organizada, que apenas um site consegue construir. Nós promovemos um estado de calmaria. Normalmente quando você quer buscar informações como contato, localização e catálogo de produtos em um canal mais dinâmico, a atenção desvirtua ou melhor embaralha dependendo da urgência.

3.TER SITE SIGNIFICA REAFIRMAR A MARCA

Sim. É como uma sede física. Quando você tem uma empresa e ela tem um endereço postal, gera uma sensação de solidez. A marca é real. Marca desenvolve o valor agregado de qualidade e serviço entregue que o público percebe. Essa força da marca é a mesma responsável por fazer uma pessoa comprar ou recomendar. Sites são motores centrais ou assistenciais quando se trata de branding (Marca)

4.CLIENTE PERGUNTA – VOCÊ TEM SITE?

Você olha uma loja a distância – quando entra e parece estar decidido em comprar alguma coisa, a primeira coisa é perguntar se tem cartão de visita, site e facebook. O termo Facebook se tornou o carro chefe de ‘Rede Social’. Site organiza as informações em um só lugar. A maioria das pessoas procura por conforto e acomodação na hora de pesquisar por algo.

5.QUANDO A CRISE ALASTRA, AS REDES SOCIAIS PODEM SER UM PROBLEMA TAMBÉM.

Crise é como um rio corrente. Corre sem parar. Nas Redes Sociais é quase impossível confrontar a crise e pessoas dentro de um ambiente as informações que são produzidas mais rápido que a reação. Sites colocam em cheque a crise informacional. A maioria dos efeitos cascatas de boatos, mentiras, desinformação são freados quando existe um espaço de informações que não sofrem com mudanças a todo tempo.

Sem falar do desencontro de fatos, sites impedem que o que é uma simples crise crescer em um tiro para todos os lados. Em meio a crises, um site e um hotsite podem dar fim a crise bem antes dela ganhar forma.

6.SITES = CARTÃO DE VISITA

Websites não substituem os cartões de visita físicos. Os complementam. E canalizam uma força de visibilidade que ultrapassa regiões. Também garantem conhecimento da informação sobre você, seu negócio, seus serviços, resultados e reconhecimento no mercado.

7.PODER DE ULTRAPASSAGEM REGIONAL

Sítios eletrônicos garantem a extrapolação de região. Você não vai limitar sua visibilidade apenas local e presencial. As pessoas vão conhecer seus empreendimentos a distância. E permitir que haja um crescimento do negócio sem apenas a recorrer a investimento caríssimos de divulgação (outrora) inacessíveis ou quando acessíveis caros demais para implantar.

8.OMNI-CHANNEL VS MULTICANAL – SITES

Sites hoje, principalmente e-commerce (Lojas Virtuais) tem permitido essa colaboração. Sites, redes sociais e físico operam para construir um negócio cômodo. Por exemplo, você encomenda um livro na loja física e pede para ser entregue em casa. Ou encomenda um livro pela internet e retira em uma loja. Tudo que permita uma livre escolha sua e de seu público.

Sites combinam os recursos e opções necessários para ter presença e contato com o seu público, que antes apenas com o recurso de loja e talvez o site fosse possível dizer que a marca está presente em todos os lugares. Agora ela está também integrado, permitindo que o público opte por seu negócio pela facilidade.

Quem é?

15622326_1804739003134040_5782145199684047373_n

Publicitário / Designer / Consultor / Palestrante / Empresário e CEO da Junqueira Consultoria. MBA em administração de Marketing e Comunicação Empresarial (UVA), Marketing de Relacionamento — CRM (IBMEC), Gerenciamento de Crises nas Mídias Sociais (ESPM). Especialista em Marketing Jurídico, Relacionamento e Redes Sociais. Colunista no Instituto Vendas.

Participe do grupo “Marketing de Relacionamento”:

https://www.linkedin.com/groups/7056049

https://www.facebook.com/groups/104077403461679/ (Versão no Facebook)

Anúncios