O sistema de cores ronda o mundo do design trabalha com dois principais sistemas de geração cromática (cor). E sobretudo fazem diferença quando queremos lidar com formas de produção de imagens. De nada adianta querer trabalhar com qualidade, se não temos o conceito do que é CMYK (Cyano, Magenta, Amarelo e Preto) e RGB (Vermelho, Verde e Azul).

Círculo cromático complementar (Imagem: Reprodução)
Círculo cromático complementar (Imagem: Reprodução)

O sistema de cores CMYK é o mais usual em impressoras e ele combina os sistemas RGB para gerar cores em tons diferentes. Um azul em RGB é representado em componentes tal como (R:0 | G: 0 | B: 0) cada valor diferente de zero, significa, uma cor ativa. Então se temos R :1 | G:0 |B: 0 vamos reproduzir uma cor vermelha viva e única de tonalidade.

No CMYK temos como criar uma tonalidade do vermelho mais claro tendendo ao laranja ou vermelho escuro indo para o rúbro. Esta capacidade nos permite criar “sombras, profundidades, contornos, realce, brilho, relevo” e diversos outros fatores que enaltecem a beleza de uma foto.

Por isso encontramos a rivalidade das cores dentro de programas gráficos, e assim competem com extrema força no mercado de produção gráfica, enquanto o Photoshop é capaz de trabalhar em monitores as cores RGB, simultaneamente trabalham com o pantone CMYK que é o próprio para impressão. O Gimp apenas trabalha com o RGB, se fosse impressa será realizado com as cores em apenas uma tonalidade. E não seria capaz de produzir profundidade, sombras ou mesmo outros efeitos que tanto chamam atenção numa produção gráfica e artística.

Anúncios